sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

The Tarot of the Vampyres, Baralho da Maria Padilha, Exus e Pombagiras, ou ainda, a semana do Povo da Rua!


E justamente no dia de Yansã (sincretizada com  Santa Bárbara), a deusa que  tem o poder sobre os mortos, recebi o meu Tarot des Vampires, a versão francesa, uma obra de arte ao estilo dantesco do autor/ilustrador Ian Daniels. 
E o motivo pelo o qual me levou a contemplar com minhas próprias mãos este belo deck merece ser relatado:

E eis que há uma semana, folheando um livro* que comprei em um sebo em Paris ( sabe aqueles livros que você compra e mal ler ?) e  me deparo  com a seguinte citação, e traduzindo o trecho, temos isso:

"Orígenes dá a fórmula da invocação consagrada: Vós, infernal e celeste 'Bombô', deusa dos grandes caminhos, das encruzilhadas, tu que traz a luz, que anda de noite, inimiga da luz, amiga e companheira da noite, tu que se regozija com o latido dos cães e o sangue derramado, que erras no meio das tumbas através das tumbas, tu que desejas o sangue e que leva o terror aos mortais, Gorgo, Mormo, lua de mil formas, testemunhe nossos sacrifícios".

Momento!? É sabido que o Povo Bantu tinha algumas divindades intermediárias entre os dois mundos, divindades das encruzilhadas denominadas como Bombogira, Bombo Njila, Mavambo, Malusibango, Tibiriri, etc.

No dia seguinte, sem ainda ligar uma coisa com outra, entrei em contato com a querida Eliane Arthman, criadora talentosa do  Baralho da Maria Padilha e conversamos sobre a possibilidade de  apresentá-lo ao público europeu. Aliás, eu o tenho, e aconselho a todos que desejam se aventurar pelo o mundo destas Senhoras, entidades lindas e estabelecer uma profunda ligação com elas! Foi presente da sábia Mangla! Dank je!

 


E para fechar a dita semana de sinais e coincidências, pela minha querida Nancy Passos tive o prazer de conhecer a Força e Energia do dito tarot, e como eu disse a ela: "tirando os traços um pouco exagerado de sangue, diria que esse seria perfeitamente o Tarot da Banda da Esquerda! E para a minha grande surpresa, segundo minhas pesquisas, na realidade existe na Esquerda, ou melhor dizendo, na Quimbanda, uma Linha de  Vampiros, cujo a entidade mais conhecida é o senhor Exu Morcego!


Teria Ian Daniels sido inspirado  por essa Energia,esses seres que trabalham na escuridão, nas trevas, e paradoxalmente, servindo unicamente à Luz? Não sei nem se há como saber, apenas estou certa de que é um belíssima obra: as cartas, o Manual de mais de 300 páginas, um tesouro.
E eu sei também que tive uma semana permeada pelo "Povo da Rua"!

Quem são essas Senhoras e Senhores envoltos em sombras, velas e cruzes, caveiras, rosas vermelhas e brancas, vigiando cemitérios e caminhos em noites sombrias despertando em nosso ser uma miscelânia de sentimentos, medo e fascínio, horror e sedução?





 Segundo o autor, a simbologia deste deck nos vincula às fontes profundas  que o mito do vampiro explora: a Luz e a Obscuridade, a Morte e o Renascimento, o Amor, a Paixão e a Voracidade. Exu e Pombagira também são isso! Portanto extasiada confesso: reconheço sim nessa imagética nossos amados Exus e Pombagira, guardiões e guardiães, espíritos de seres humanos que um dia foram de carne e osso, com falha humanas, que cometeram gravíssimo erros e por isso caíram nas trevas.
No entanto, por mais absurdo que pareça, é pelo fato de nos auxiliar no cumprimento da Lei do Karma, é descendo às nossas trevas interiores, é cooperando conosco na limpeza, assimilação e transmutação de nossos desequilíbrios que eles se resgatam e voltam a subir os degraus da Evolução rumo ao Divino Criador.




E eis as Senhoras, deslumbrantes, Damas das Noites Eternas, dos Mistérios  e valiosas experiências, e portanto, grandes Terapeutas! As Pombagiras são  também aspectos da Mãe Divina, manifestações do Sagrado Feminino.

 "Sou a manifestação do desejo, mas não apenas o desejo, sou estímulo e me concretizo em suas vontades mais íntimase profundas."

Quem são elas?  Pombagira das Almas? Dama da Noite? Rosinha?




Pombagira foge aos padrões morais hipócritas da mãe, esposa e filhas comportadas, desejando assim que cada mulher conceda a si mesma o direito de dá a sua vida uma diretriz pessoal  fazendo uso de seu livre-arbítrio!
Altivas, independentes, senhoras de si!
Divindade, senhora, rainha e guardiã da Lei,
Codinome do Mistério e da  sensualidade.

E assim são as  Pombagira e Exus: atemorizam alguns, despertam a curiosidades, tal qual o  Tarot of Vampyres!




Salve meus Guardiões! Rainhas das Sete Encruzilhada! Seu Tranca Ruas.


Aprendi a respeitá-los  não por temor, mas a respeitar e amar porque são o reflexo de  minha Sombra e Mistério...

Laroiê Exu! Laroiê Pombagira! Exu Emojubá!







Socorro van Aerts


*Histoire de la Magie. Tome 1. Lucifer, Prince du Monde. [Poche]



Nenhum comentário:

Postar um comentário