sexta-feira, 3 de maio de 2013

Rosa, a flor do Peregrino



E é com a rainha das flores que iniciamos nossa viagem pelo Mundo Vegetal nos Arcanos do Tarot, especialmente por aquele  concebido por Arthur E. Waite e Pamela Colman Smith, mais conhecido como  Rider-Waite Tarot, e que se tornou um dos padrões mais copiado neste mercado tarológico.

Com exceção do Lótus, nenhuma outra flor possui tantas interpretações como a Rosa. Em alguns Arcanos ela é imponente, domina a paisagem e chama bastante atenção; em outros ela é pura e simplesmente decorativa, se dissimulando, escondendo-se entre as outras flores, não trazendo consigo nenhum significado mais profundo. Será?

Eis o início (ou o fim?) de uma jornada para um ser que parece ser bem esquisito, dizem que ele é Louco, além de outros apetrechos, traz em sua mão esquerda uma Rosa branca, simbolizando seu desejo de se conectar com o Poder Divino, com o Eu Superior. Em outras palavras, o amor puro, a autenticidade de sentimentos, a inocência do Ser.



Rodeando o Mago, as Rosas indicam a condição especial deste ser, uma vez que elas são as flores dos iniciados, símbolo  tanto de sua auto-transformação como de sua regeneração psíquica. Obstáculos interiores e exteriores, sacrifícios necessários para o aprimoramento do ser, estes  são simbolizados pelos os espinhos. Portanto, não é desnecessário dizer que todos os personagens que de alguma forma trazem as  Rosas sobre si são Iniciados



No Arcano do Hierofante , as Rosas aparecem estampadas no manto do jovem clérigo ( Tarot of New Vision, ele  carrega uma serpente), o que nos deixa a entrever que estamos diante  daquele  que vivencia a experiência religiosa de uma maneira não ascética ou se voltando para o interior, mas que busca no exterior, que  leva a cura tanto física quanto espiritual  àqueles  que o procuram ou que cruzam o seu caminho iniciático. E sobre  o outro seminarista com os Lírios? Mais tarde falo sobre ele, assunto para um outro post!





 
A figura feminina da Força, a Iniciada na Arte dos Poderes Femininos,  é uma díscipula da Natureza,  uma Dama da Magia e que soube aceitar seu corpo, seus instintos a partir de uma percepção interior. A integração da natureza humana mais elevada, consciente e espiritual  com a natureza mais primitiva é o primeiro passo na viagem interior do Iniciado, e ela bem sabe disso.

Estampada no estandarte do Cavaleiro ( ou Ceifador) do Arcano XIII, vemos uma rosa branca,  a imagem simbólica da  Rosa Mística, mas não pára por aí : na indumentária do sacerdote,  nos cabelos da figuras  ajoelhadas. Mesmo sendo intitulado A Morte, este arcano e suas Rosas em si, transmitem  uma mensagem de vida:  grande flor com cinco pétalas (pentagrama, apontando para baixo) de forma clara sua mensagem: é tempo de colheita! A tarefa do ceifeiro não é destruir, mas trazer a colheita. 
A rosa mística, tanto a vermelha como a branca, foram adotadas pelos alquimistas  como o símbolo do Vaso Espiritual, o útero sagrado.
A grande surpresa, experiência e visão que nos proporciona o Arcano XIII é que a morte não é o fim, mas , uma transformação, uma passagem,   e a prova maior disso é o nascer do Sol  lá nos confins dessa paisagem, verdadeiro  prenúncio  de uma nova viagem em uma outra dimensão.







Entre os Arcanos Menores, as rosas se dissimulam, se escondem, será talvez porque a partir daqui o Tarot se presta a transmitir os aspectos do cotidiano, da vida prática, fugindo dos significados profundos e místicos? Creio eu que não, e uma Dama sentado num trono, rodeada por um jardim de rosas, bem nítidas e marcantes vem enfatizar isso, é a Rainha de Ouros!
Segundo a Sra. Waite, ela possui a energia de um Arcano Maior, ainda que em um nível mais acessível, ela é  uma faceta da Imperatriz, enquanto senhora da Fertilidade e da Colheita. 
A única diferença é que a Imperatriz possui a capacidade de gerar, de criar a vida, enquanto que a Rainha de Ouros se ocupa de manter e cuidar  de todas as formas viventes já existentes.Em termos divinatórios, este jardim de Rosas é sinal de fecundidade e de bom presságio, de boa promessa.





Sem dúvida alguma, a Rosa é uma das flores mais benéficas e maravilhosas que se possa utilizar na Magia , a tal ponto que ela é considerada como o substituto universal para todo e qualquer ingrediente vegetal. Dizem os mais experientes que todo aquele pratica a Magia das Ervas jamais deve deixar seu Altar ausente desta flor.

Por excelência, ela é uma flor intimamente ligada à Deusa, e portanto é uma oferenda ideal em qualquer ritual.  A tão conhecida água de Rosas pontecializa tanto antes de preparar uma porção de amor,  potencializa qualquer banho, porção e práticas mágica voltadas para atrair o Amor!

Se perdeste um Ente querido,  coloque uma Rosa rosa, vamos assim dizer, diante de sua fotografia. Queime o incenso Pontifical  com pétalas de rosas secas, acenda uma vela rosa ou vermelha. Seu amor será transmitido até ao plano aonde ele "reside" neste momento, e com certeza, essa energia amorosa será sentida por ele.

 E se ainda buscas pela a harmonia com as Forças Superiores, procuras um remédio para os "rasgos" e feridas  do coração, procuras um sono reparador e sonhos proféticos, tudo isso e muito mais poderás encontrar  numa poderosa e singela  Rosa.










Referiência bibliográfica: 


El Tarot Universal de Waite, Edith Waite.
Tarot of the New Vision, Giordano Berti.
The Woman's Dictionary of Symbols& Sacred Objects.
De l'usage des Herbes, Poudres et Encens en Magie, Mikhaël d'Estissac.

   


Paz e Luz!




Um comentário:

  1. Muito lindo todo conteúdo do seu blog!
    Forte abraço.
    (artesanato em mdf)
    Faça-nos uma visita quando puder
    acesse: www.centralcaixas.com
    Obrigado pela atenção .

    ResponderExcluir