segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Ervas Guardiãs e o Anel



                                                              


 Quanto mais tempo ganho em experiência com os tarot, oráculos e afins, mais me impressiono com as sintonias e sincronicidades que aqui e acolá acontece. Eis a Magia das Cartas!
Para esta semana que temos pela frente, estamos sob os auspícios das Ervas Guardiãs (The Druid Plant Oracle) e do Anel, do Baralho Cigano (Magisches Lenormand).

As ervas Guardiãs dizem respeito à três árvores  que preservam a saúde humana prolongando até mesmo os anos de vida ao fortificar o sistema imunitário, o coração, o sistema circulatório, o fígado e os rins.
A carta mostra uma Bétula (Betula)crescendo entre um Sabugueiro ( Sambucus) e um Biancospino (Crataegus), estas  árvores são as guardiãs deste lago sagrado.

 Elas também fazem parte  do Ogham de 18 árvores e 7 plantas  que compõem o misterioso alfabeto das árvores, chamado às vezes de Língua do Druidas.


De uma certa  maneira, estas ervas agem como o arquétipo de uma família: o sabugueiro como a mãe; o biancospino, o pai e a bétula é o filho. Cada uma delas nos oferece dons extraordinários!
O Sabugueiro é uma daquelas ervas que cura pela magia. Canaliza o Fogo de Vênus, nos oferece a proteção contra a pervesidade e entidades negativas assim nos afasta de prejuízos tanto no plano físico como no etérico.
Era bastante usada em ritos funerários na Antiga Grã-Bretanha. Acredita-se que dentro do sabugueiro habitavam bruxas e espíritos, por isso quando  o cortavam, escorriam uma seiva vermelha. Então, para que isto não acontecesse, era necessário antes de cortar, recitar a seguinte fórmula, caminhando em volta da árvore:

"Lady Ellhorn, dê-me sua madeira 
e eu te darei a minha
quando  eu me transformar em árvore."

Feito assim, dá-se o devido tempo para o ser se retire por alguns instantes da sua morada.
Para abençoar uma pessoa, um lugar ou coisa, espalhe as folhas e bagas de sabugueiro aos quatro ventos em nome do que vai ser abençoado. 




Quanto ao biancospino, o druidismo e a tradição popular a associam ao mundo das fadas e à sexualidade.
A Lua  e sua Água fecunda dão ao Biancospino o poder de proteger os jovens recém-casados, o lar e os filhos. Ela age sobre o corpo etérico, curando as feridas.
Ajuda também a se liberar  de sentimentos desarmônicos e até mesmo o ódio. Restabelece a calma interior e o equilíbrio  depois um período de lutas, conflitos e disputas; o chakra do Coração será fortificado e uma enorme sensação de alívio e amor-próprio será renovada.
Queimá-lo regularmente, ajuda a proteger o lar e o casal. Em caso de esterilidade por conta de bloqueios psicológicos, recomenda-se  um banho de folhas maceradas de Biancospino com algumas gotas de óleo essencial de Alfazema. Tome o banho antes de qualquer relação sexual,  enquanto se consome uma vela azul-claro.


A bétula é associado ao druidismo pela sua propriedade de purificar, por está associada ao nascimento, começos e recomeços. É na Escandinávia que o uso do biancospino é mais uso, assim como também na Rússia. Vênus e um Fogo Elevado lhe conferem atributos indispensáveis para a confecção de uma varinha mágica. É uma planta que favoresce a eclosão de sentimentos que nos leva ao enlace matrimonial. Na Rússia, quando alguém deseja fortalecer  seu relacionamento, para que este não se transforme numa aventura sem dia seguinte, mas em algo promissor, ele ou ela deve ir à uma floresta e num tronco de bétula,  levantar um pouco de sua casca e gravar seu nome entremeado com o nome do ser amado. Vamos dá um exemplo, Martina e Allan, então esses nomes serão escritos dessa maneira: MAALRLTAINNA. O nome da futura noiva  deve vim primeiro, porque é da mulher (representante da Mãe-Divina) que se derrama a vida e a partir de onde todas as coisas se tornam possíveis.
Portanto, em conjunção com o Arcano O Anel, o que nos aconselha e transmite a carta The Guardians?

- Uma relação que está aparentemente em dificuldade, pode ser preservada  e fortalecida através de vários ajustes e modificações que no momento parecem até banais.
- Identificar as boas conexões, aquilo que entralaça e une os seres amados. É bom lembrar  que até mesmo as relações estáveis têm necessidade  de uma espécie de  "sistema imunitário" saudável, capaz de permitir aos parceiros que gerenciarem os estresses inevitáveis que aparecem numa relação a dois.









Bençãos )O(



Nenhum comentário:

Postar um comentário