segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Bardana ( Arctium lappa)


A Erva da Liberação.

"Admito que até mesmo as experiências negativas  são preciosas lições 
para a minha evolução."

A Bardana é uma planta  que pode ser  encontrada na maior parte da Europa, na América do Norte e na Ásia. Alcançando uma altura de 1,20m, ela possui grandes folhas ovais e flores de cor púrpura que se abrem entre os meses de julho e setembro. Seu grande atrativo é sua inflorescência, protegida por um invólucro de brácteas que terminam em gancho, resultando em uma forma espinhuda capaz de se dispersar por longas distâncias, presas na pelagem dos animais. Seus capítulos florais, milagre do design da Natureza , inspiraram o inventor suisso George de Mestral para inventar o felcro!

A imagem acima mostra a grande bardana entre as duas festas druidicas, Lughnasadh, no 1 de agosto, marcando o ínicio da estação das colheitas, e o Equinócio de Outono ( Alban Elfed), em 21 e 22 de setembro, marcando seu término. Bem ao lado dela, vemos um Dente-de-leão, planta que possui  várias propriedades similares à bardana, e  era usado pelos  Médicos de  Myddfai e os Druidas antigos tanto como alimento e medicamento.

O nome cietífico da bardana é Arctium lappa, Arctium do grego arkos, que significa 'urso', e lappa, agarrar. Também é provável que lappa venha do celta llap, que quer dizer "mão". 
Seus  capítulos florais  são utilizados há séculos durante a festa de Burryman na cidade de Queensferry, na Escócia. No ínicio de agosto, um homem vestido com uma roupa especial e encapuçado, coberto com milhares de capítulos florais da bardana, onde há apenas minúsculos buracos para pode enxergar  e outro orifício pelo qual pode beber com um canudo o whisky oferecido. Durante toda o dia, este personagem assustador, com ares de um urso, caminha pela cidade com os braços estendidos segurando dois bastões. Vestígios de um rito pagão, o desfile do  Burryman é realizado com o intuito de trazer sorte à cidade, uma vez que todos os espíritos nefastos vão aderir a estes capítulos florais e serão levados para bem longe.




Há milhares de anos a bardana cresce nos campos da Grã-Bretanha, assim ela tem sido usada como alimento e erva medicinal. Sua raiz mede mais de 30 cm e pode ser consumida crua ou cozida,  assim como as folhas, que oferecem um dos tônicos sanguineos mais fortes e eficazes. Como o dente-de-leão, a bardana é eficaz para o tratamento de doenças da pele, acne, eczemas e psoriasis. Além disso, ela é um antibiótico natural, regula o sistema hormonal e é uma forte preciosa de vitaminas B; estimula o sistema linfático e imunitário, elimina as toxinas e auxilia na prevenção do câncer. Da mesma forma que  Burryman percorre por toda a cidade livrando-a das energias tóxicas e nefasta, a mesmo função  a bardana  cumpre para  com  o nosso organismo.

Os Druidas modernos fazem uso dela junto com o dente-de-leão numa infusão ou em forma de vinho durante a estação da colheita, entre Lughnasadh e o Equinócio de Outono, para se  purificar e fortificar seu sistema imunitário para a chegada do Inverno.

Para esta semana, que tal:

- Libere-se ou se desfaça de uma influência ou hábito obsoleto, que se tornou nefasto para a sua  vida e avance para uma nova fase.





Paz e Luz!




Nenhum comentário:

Postar um comentário