segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Erva da semana: Samambaia (Pteridophyta)



A Erva da juventude eterna.


Desperto para os poderer visíveis e invisíveis do Universo.

A samambaia nos traz uma mensagem dupla: se por um lado ela nos lembra da força vital no sentido de sensualidade e fertilidade, por outro, esta planta nos fala de invisibilidade, sutileza e retraimento. Portanto, cabe a cada um julgar  qual a atitude mais benéfica entra em  sintonia com as circunstâncias do momento.

As samambaias é uma dentre as plantas mais antigas do mundo, estão aqui antes dos dinossauros na Era Mesozóica.
É uma erva consagrada a São João e a Nwyfre, a força vital que corta os céus sob a forma de um raio ou ainda como uma serpente representando as linhas das forças telúricas, um sinal de fertilidade em todos os sentidos.

Os gregos antigos, os herboristas árabes, os europeus nos tempos medievais, xamãs cherokees e os maoris da Nova-Zelândia faziam uso da samambaia para curar, então é bem provável que os antigos  druidas também se serviam dela. A samambaia que cresce sobre os musgos de velhos carvalhos  eram vistos como poderosos remédios. Na Escócia, a samambaia-avenca (ao lado)  que se assemelha um pouco à forma dos pêlos pubianos femininos, era usada no preparo de um xarope contra a tosse.

O óleo extraído da samambaia macho é conhecido desde da época  de Teofrasto e Dioscoride por ser um potente vermífugo,  e  comprovadamente, se sabe que ele pode livrar o intestino  do verme da solitária em virtude de seus constituintes  químicos altamente tóxicos. É também considerada como um afrodisíaco, suas raízes eram usadas em porções de amor.                                                                                                                                                                                                                           
Quando colhida na véspera  do dia de São João, a feiteira (uma espécie de samambaia), chamada também de Samambaia de Deus na Irlanda, era considerada ser capaz de conferir a invisibilidade. Na verdade, esta idéia se originou pelo fato de que sua reprodução acontecia quase que por um milagre, pois seus esporos são quase invisíveis. Como a véspera de São João é muito próxima do Solstício de Verão e o fato de que nesta data o contato com o mundo invisível das Fadas  se torna mais propício, reforçou mais ainda esta crença de invisibilidade.
Em Henrique IV, Shakespeare diz: "Temos a receita da samambaia - estamos invisíveis."
A samambaia era considerada capaz  de conceder a juventude eterna  por causa  de seu crescimento e sua capacidade de se renovar quase que milagrosamente.

A Botrychium lunaria e sua parente "língua de serpente" ( respectivamente, da esquerda para a direita abaixo), que muitas vezes não são notadas entre as demais folhas ou entre as ervas,  são particularmente misteriosas. A língua de serpente possui uma folha de forma oval que procura esconder  uma espécie de espinho que se assemelha a um língua, assim se pensava que ela podia curar as picadas de serpentes. Já a Botrychium produz uma série de "folhas" em forma de meia-lua, e se diz que ela é capaz de agir sobre o metal, abrir as portas quando inseridas nas fechaduras e ainda, extrair pregos de ferraduras...





















Frases-chaves para esta semana:

- Momento de força vital e energia essencialmente espiritual da criação.
- Entre em contato com esta força através de alguma prática espiritual.
- Celebre alguma festa da estação, como por exemplo, o Solstício de Inverno, no dia 22, conhecido também como Yule. (No Hemisfério Sul, Litha).
- Medite sobre o poder dos Elementos.
- Visite algum lugar sagrado.
- Faça rituais lunares sob o olhar acolhedor das Estrelas.
- Num dia de Sol, saia, caminhe, tome um banho de energia solar.









Paz e Luz! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário