domingo, 13 de novembro de 2011

Erva da semana: Mandrágora (Mandragora officinarum L.)



A Erva que ameniza a dor.

Ofereço Amor para amenizar o sofrimento de outrém.

A mandrágora é uma planta originária da região mediterrânea, do Oriente Médio, da Ásia Central, da Índia e da região oeste da China. Muito semelhante  à Primula, as duas variedades, a mandrágora branca e negra, possuem flores respectivamente, brancas, creme e púrpura. Como faz parte da família das Solanaceae, a mandrágora é uma parenta bem próxima  da beladona (Atropa belladonna).
É uma erva poderosa, regida  pelas entidades Elementais da Terra muito, pois suas raízes  possuem uma  função psíquica, e sobretudo etérica extremamente importante. 
Em realidade, a mandrágora cumpre uma "missão" em benefício de todos os seres humanos, uma vez que de suas atividades depende uma parte  do equilíbrio dos Elementos agindo na Terra ( a crosta terrestre).

No imaginário popular e mágico, se configura como uma dentre as denominadas "ervas maléficas", ou seja, aquelas que infelizmente de tão conhecidas seus malefícios, que é deixado de lado  suas qualidades tanto em termos de magia como medicinal.
Acima de tudo, são suas raízes que atraem e fascinam os humanos, pois para muitos por  terem a forma  bífida (fendida) se assemelhando a um ser humano, tal esboço indica, segundo a tradição cabalista, que teria nascido da semente de Adão ao ter  sonhado com a Árvore do Bem e do Mal, portanto, a mandrágora estaria ligada aos seres humanos por um tipo de parentesco.




De acordo com alguns herbalistas, a mandrágora foi a primeira planta a ser usada numa guerra química: Aníbal, o general cartaginês, face a um inimigo africano, bateu em retirada, mas deixou para trás uma garrafa de vinho envenenada com mandrágora!
 A crença no poder desta planta era enorme em toda a Europa: na Inglaterra, por exemplo, ela chamada de satan's apple (a maçã de satan) e na Alemanha, o termo alruna era o mesmo para designar a mandrágora e a feiticeira. Não é à toa que muito se tem dito  que era por causas de suas propriedades narcóticas, alucinógenas e hipnóticas, que muitas bruxas usavam a mandrágora "para se renderem ao sabbat": testemunhas descrevem estranhas visões e sensações de imaterialidade provocadas  pelos unguentos à base de mandrágora.

E suas qualidades? 

Como a Beladona e o Hyoscyamus, a mandrágora é composta de diversos alcaloides, responsáveis por suas propriedades tóxicas e narcóticas. Há mais de 3 000 anos ela já era utilizada como anestésico na Pérsia.
Introduzida na Grã-bretanha pelos romanos, foi usada durante séculos em cirúrgias; os médicos anglo-saxões  se serviam dela desde do século VIII; uma "esponja soporífera" era embebida  de mandrágora e ópio era já utlilizada no século XII.
Ainda que seja bastante conhecida como anestésico, ela é também famosa por ser um poderoso afrodisíaco. No século  III a.C., Teofrasto fala de porções de amor compondo-se de mandrágora. As moças romenas colhiam suas raízes, auxiliadas por senhoras idosas, e assim cantavam: "Mandrágora, mandrágora, madrágora, me case daqui a um mês."

 Em termos mágicos, a madrágora está entre as ervas portadoras de fortuna e riqueza material. Diz a lenda que como em sua raiz  se esconde  o espírito errante do elfe Mandegloire, traz àquele que carrega consigo riqueza e proteção mágica, favorecendo ainda a adivinhação.
Contudo, segundo a tradição esotérica, a mandrágora não é destinada a ser usada por qualquer um, sobretudo em benefício de um indivíduo ou família. Sua missão é o bem-estar coletivo, que se por acaso for desviado para os interesses pessoais e individuais, a experiência prova que a manipulação pode ser perigosa e que o beneficiário se verá sempre na obrigação de dar  uma compensação. É sabido que todas as plantas têm uma missão para com a humanidade e o planeta, portanto cada uma pode ou "está autorizada" a levar o auxílio a um indivíduo em particular. Mas o caso da mandrágora é  algo bastante peculiar. Se acaso o seu uso é só para acalmar a dor física, nenhuma compensação é exigida pelo Espírito - grupo  desta planta.

Frases-chaves para esta semana:
- De alguma maneira, amenize o sofrimento de alguém através de palavras, gestos.
- Faça encantamentos! (Não necessariamente com a Mandrágora !).
- Estude os mundo da Plantas, e descubra formas para entrar em contato com os seres que regem o Mundo Vegetal.









Paz e Luz!



Nenhum comentário:

Postar um comentário