quinta-feira, 21 de abril de 2011

Plantas e Ervas durante a Gravidez...




Os profissionais da Fitoterapia e até alguns profissionais da área da Saúde como enfermeiras-obstetras e parteiras aconselham o uso de certas ervas e plantas durante a gravidez, com o intuito de proporcionar à mulher grávida uma sensação de bem-estar. As Ervas medicinais são importantes na vida daquela que ainda guarda um ser em seu ventre ou que já está amamentando-o.


Vejamos aqui algumas delas de acordo com seus benefícios:


Plantas tônicas e curativas:


para o sistema imunitário: equinácea e o alho;
para o sistema nervoso: a camomila, a erva-cidreira, a palha da aveia, a borrage, conhecida também como borracha, borracha-chimarrona e foligem, o manjericão;
para o sistema circulatório: o trevo-dos-prados, framboesa (as folhas do pé), a bardana, a agripalma, também conhecida como cardíaca, chá-de-frades e erva-macaré; a escutelária, o alho e a bolsa-de-pastor;
para o sistema urinário: o alecrim, a borrage, o galium, conhecido também como Colha-Leite, Gália; Galião, Erva-Coalheira, Aparina; e a calêndula.
para o sistema digestivo: a erva-cidreira, o alecrim, a camomila, ulmeiro.
para os intestinos: a framboesa, a linhaça, a beterraba, a ameixa e a centáurea, conhecida também como escovinha e fidalguinhos.
para o sistema endócrino: dente-de-leão.


Plantas nutritivas para as grávidas:


Folhas da framboeseira e a própria framboesa: rica em vitaminas A, E, C, D e complexo B assim como também em Cálcio e Ferro, minerais incluindo o fósforo, potássio e o zinco.
Ao mesmo tempo, relaxa e tonifica todas as membranas mucosas do corpo, relaxando os rins e as vias urinárias, aliviando as diarréias e hemorragias.
Favorece a fertilidade ao regularizar o sistema hormonal, além de propocionar um alívio às náuseas.
Contém um alcalóide, a fragrina que tonifica os músculos da região pélvica e do úteros e os auxilia a relaxar sem atonia. Favorecendo a boa saúde do úteros, este resiste melhor às pressões portanto há menos tendência às falsas contrações pois estando em forma, no momento do parto, as contrações são mais eficazes, harmoniosas e menos dolorosas. Logo, o trabalho de parto é menos longo e árduo. Diminue o risco de hemorragia pós-parto.
Contudo, não é recomendável fazer uso durante os três primeiros meses de gravidez.
Não é um estimulante, mas um tônico, o que significa que a planta espera o sinal hormonal antes de agir.




Trevo-dos-prados: é uma planta extremamente nutritiva, rica em minerais e oligoelementos, incluindo o cálcio e o magnésio, ajudando na assimilação dos minerais.
Alcalinizante, ajuda no restabelecimento do Ph, logo é extremamente útil para o período da gravides onde aparecem muitos problemas de acidez, seja sob forma de vaginite, problemas de pele, etc...


Camomila: planta rica em propriedade calmantes e digestivas, senhora na arte de restabelecer o Ph de um sistema ácido.
É um anti-inflamatório, agindo sobre as hemorróidas, inflamação da bexiga, irritações vaginais ou anais.
Atenção: o trevo-dos-prados elimina as toxinas e alcaliniza, mas a camomila alcaliniza proporcionando a calma ao eliminar a produção de acidez.


Aveia: rica em proteínas, cálcio, magnésio, potássio , ferro e vitaminas, enfim, todos os elementos necessários para um corpo são.
Um verdadeiro alimento para os nervos durante os períodos de stress ou para tratar o esgotamento, a depressão, fraqueza e estados de letargia.
Em geral, um tônico importante que favorece as secreções hormonais e regulariza a taxa de glicemia e os níveis de estrogênio do organismo. Ótima para todas as idades.


Dente-de-leão: diurético suave, oferece o equilíbrio da água no corpo ao ajudar os rins na limpeza e filtração, além de ser rico em potássio.
Atenção: os diuréticos químicos agem eficazmente, tendo um efeito secundário às vezes perigoso, porque eles eliminam o potássio com o excesso de água.
Ligeiramente laxativo. Tônico do pâncreas, muito útil para os casos de diabetes na gravidez.
Ao mesmo tempo colagogo e colérético estimula a produção e ajuda na eliminação da biles, melhorando a capacidade dos rins de limpar o sangue e reabsorver os nutrientes.


E o que dizer daquelas plantas e ervas que devem ser evitadas durante o período da gravidez?


Existe um grande número de plantas usadas para fins medicinais, culinários ou alimentares que é quase impossível de estabelecer uma lista daquelas que devemos banir durante a gravidez. Certas destas plantas podem ser consumidas a doses reduzidas, sobre a vigilância ou em certas condições. Logo, elas não devem ser administradas sem a avaliação de um terapeuta competente
e com o conhecimento dos sinais e efeitos para se preocupar. Se houver necessidade, consulte um fitoterapeuta.








Extraído de http://www.doucenaissance.ca/alimentation/maman/plante_grossesse.php
Adaptaçào: Lulu  van Aerts.




Nenhum comentário:

Postar um comentário